/ PT / ES / EN /

Construindo uma organização inovadora – Parte 2

Construindo uma organização inovadora – Parte 2

Especialista: Lucas Ricardo Mendes de Souza

Recente mente escrevi um artigo sobre as barreiras da inovação e entre os inúmeros fatores organizacionais e de capacidade de investimento restritas, observa-se que adquirir a cultura inovadora é um grande instrumento para conseguir romper com estas barreiras.

O que torna a cultura de uma organização ser voltada a inovação é uma combinação de fatores, que estão presentes em todas as culturas e incluem definições que passam por:
– Definir um conjunto de capacidades e recursos humanos aptos para atuarem com inovação;
– Procedimentos e sistemas formais que incentivam inovação;
– Definições da cultura organizacional, valores e normas que definem a organização como inovadora.

Ter todas as definições, ou seja, no papel, na parede, no site e mesmo se todos os meios de comunicação da empresa expressarem a importância da inovação, não são suficientes se a dimensão das pessoas e suas capacidades não seguirem.

“Walk the talk”, termo americano que representa bem o significado, de não basta escrever, definir e comunicar, tem que praticas conforme o discurso.

 

Para termos uma definição mais clara do que precisa ser feito para uma organização ter uma cultura voltada a inovação, são identificadas 7 práticas, as quais estão listadas abaixo:

1. Tornar Inovação responsabilidade de todos – Em muitas organizações, a inovação é assumida como responsabilidade da equipe de alta gerência ou da unidade de pesquisa e desenvolvimento. A inovação é essencialmente um empreendimento colaborativo, onde a imaginação coletiva produz novas oportunidades de negócios. Uma das chaves parece ser criar um ambiente colaborativo, “rico em informações”, no qual todos os funcionários são convidados a contribuir.
2. Contrate e mantenha pessoas criativas na equipe– Toda a inovação depende da geração de ideias novas, mas nenhuma ideia nova será gerada na ausência da criatividade humana. Consequentemente, o processo de contratação precisa enfatizar a importância de selecionar indivíduos que têm potencial criativo. Mais importante ainda, o sistema de recursos humanos precisa se concentrar no desenvolvimento dessa criatividade e na retenção de indivíduos que demonstram uma promessa criativa. De fato, há pesquisas científicas que demonstram que quando o sistema de recompensa reconhece e retém funcionários criativos, a organização se comporta de forma mais inovadora.
3. Coloque ideias promissoras em teste o quanto antes “se for possível”– Um popular, mas controverso mantra em organizações inovadoras é “falhar rápido, é não barato.” No entanto, rápido e barato não são suficientes; A organização inovadora também precisa aprender com a experiência, a fim de fazer o “fracasso” pagar. Por isso, um ingrediente-chave para se tornar mais inovador culturalmente é a importância de projetar testes ou “experimentos” relativamente pequenos, mas rigorosos.
4. Utilize o RH (Recursos Humanos) para criar a filosofia da segurança– As organizações operam em ambientes cada vez mais competitivos. O conceito de “vencer” é importante, e ser rotulado como “vencedor” é geralmente uma chave para o avanço organizacional. Infelizmente, o fracasso é parte integrante da inovação, de modo que as culturas inovadoras precisam criar a segurança psicológica, em que o fracasso em certas circunstâncias é aceitável. Alguns erros são mais letais do que outros, para que os erros que não comprometam a sobrevivência da organização precisam ser aceitos, e aceitos pelos líderes. Mais uma vez, o sistema de recursos humanos pode ser o instrumental para ajudar a criar a segurança psicológica para permitir a inovação.
5. Utilizar equipes interdisciplinares e multidisciplinares por toda a organização– A inovação é claramente um esporte de equipe, que deve permear toda a organização. Como resultado, equipas interdisciplinares, ad hoc, parecem ser a abordagem estrutural adequada para promover a inovação. Hoje, IDEO é uma das empresas mais inovadoras do mundo, e sua abordagem ao negócio é centrada em equipes interdisciplinares.
6. Mudar artefatos da organização (valores e políticas) para sinalizar a importância da inovação– Mudar uma cultura é mudar intencionalmente os artefatos culturais na direção da mudança desejada. Quando a criatividade e a inovação são desejadas, é importante ser mais flexível no ambiente de trabalho. Assim, torna-se importante a flexibilidade nos arranjos de trabalho, códigos de vestimenta e títulos organizacionais. Novos mitos e rituais são necessários que se concentram em criatividade e inovação.
7. Agir conforme “pressupostos culturais” para sinalizar a importância da inovação– Mudança de cultura não ocorre até que os pressupostos subjacentes que permeiam a organização sejam desafiados e substituídos por alguns novos pressupostos. Portanto, ordenar novos comportamentos não é suficiente. A organização deve identificar cuidadosamente o que são os antigos pressupostos e trabalhar para instilar novos pressupostos que apoiem a cultura desejada.

Para trabalhar com inovação, é preciso se atentar a endereçar as práticas acima descritas e incorporar temas que passam por: Estratégia; Ambiente; Intenção; Foco no Cliente; Patrocínio; Confiança; Segurança; Apoio; Coragem.

Conclusão: Criar e principalmente disseminar uma cultura voltada para a inovação requer que um programa abrangente seja implantado. Avaliar o quanto uma organização já possui em termos de cultura e instrumentos para trazer os melhores resultados com inovação, significa realizar uma imersão, entender profundamente o quanto todas as áreas e pessoas da organização incorporam as práticas. Deve ser levado a sério, não basta escrever na parece que somos inovadores. As barreiras da inovação são fortes e é preciso grande incentivo para que as pessoas absorvam uma cultura inovadora.

 

Comece por você:
1. Não pergunte o que, pergunte o por quê
2. Mantenha a sua mente aberta (abra os olhos e observe)
3. Use ferramentas visuais (visualize)
4. Desenvolva as ideias (suas e dos outros)
5. Exija opções (não se contente com a 1ª que encontrar)
Conheça mais o serviço de Implantação de processo de inovação da Inmetrics e converse com nossos especialistas.

 

Posts Relacionados
Construindo uma organização inovadora – Parte 1

Especialista: Lucas Ricardo Mendes de Souza Muito se fala hoje sobre ser inovador ou pertencer a uma organização inovadora. Ser inovador passa também por ser ou pertencer a uma organização que tenha uma boa capacidade de se adaptar, ou seja, ser capaz de mudar. Relacionado

Saiba mais
Principais barreiras ao inovar na era digital – Parte 4

Especialista: Lucas Ricardo Mendes de Souza Para construir o processo de inovação, os métodos mais comuns aplicados são o Design Thinking para técnica criativa e o Scrum para operação da ideia. Relacionado

Saiba mais
Principais barreiras ao inovar na era digital – Parte 3

Especialista: Lucas Ricardo Mendes de Souza O consenso de que empresas estabelecidas correm o risco de uma startup mudar o mercado faz com que os altos executivos se mantenham firmes no incentivo à inovação. Relacionado

Saiba mais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *